Resenha: Sr. Daniels de Brittainy C. Cherry


       Ashlyn Jennings acabou de perder a irmã gêmea para a leucemia e vê sua vida virar de cabeça para baixo. Além de ter que aprender a conviver sem a pessoa que além de irmã era sua melhor amiga, precisa se adaptar a uma nova vida e rotina. Sua mãe acaba a enviando para a casa do pai, com quem teve um contato mínimo ao longo da vida, ela viaja de trem para Edgewood, com muita bagagem, muitas lembranças e uma pequena caixa misteriosa deixada pela irmã.

       Na estação de trem Ashlyn conhece o musico Daniel (o garoto dos olhos azuis), eles se atraem um pelo outro quase que instantaneamente. Os dois dividem não só o amor pela musica e por Willian Shakespeare mas também a dor de suas perdas. Chegando na casa do seu pai, ela descobre que ele construiu uma vida totalmente nova sem que ela soubesse, ele tem uma esposa com seus filhos que o chamam até de pai. E mesmo com todos esses conflitos e surpresas, Ashlyn se sentia esperançosa com sua vida nova e começa o ano letivo na sua escola nova onde seu pai é o diretor, mas as surpresas não acabam por aí.

       Logo no primeiro dia de aula, ela não podia acreditar, aquilo não podia estar acontecendo, DANIEL É SEU PROFESSOR DE INGLÊS, o belíssimo garoto dos olhos azuis com quem já estava mais envolvida do que deveria é na verdade Sr. Daniels.

       Sem qualquer outra saída, eles são obrigados a manter seu amor em segredo e agir como desconhecidos na escola. E como isso já não fosse difícil o suficiente, eles também tem que achar uma forma de superar os seus problemas do passado, seu luto e os muito escrotos problemas que vão aparecendo para o casal no decorrer da história pra tornar tudo ainda mais difícil.

       A vida de nenhum dos protagonistas é fácil, Ashlyn ainda tenta superar a morte da irmã e a sensação de rejeição pela sua mãe, quando ela conhece Daniel é como se uma luz se acendesse na sua vida, eles compartilham todos esses problemas e tentam superar juntos, pois Daniel tem problemas similares; sua mãe foi assassinada bem na sua frente, seu irmão foi preso e o pai morreu um ano depois, até conhecer Ashlyn, a unica forma que tinha de esquecer tudo isso um pouco era tocar com a sua banda Romeo’s Quest, na qual as letras das músicas se inspiram em peças de Shakespeare, uma grande paixão dos protagonistas.

      
       Okay, eu to falando muito dos personagens principais, mas Sr. Daniels tem alguns personagens secundários que devem ser lembrado. Tem o Ryan (meu personagem favorito), ele é gay e esconde isso da mãe, uma mulher extremamente religiosa que nunca o aceitaria. Existe a Hailey, irmã de Ryan que por mais que tenha crescido no catolicismo, ela escolheu seguir o budismo, e como Ryan ela esconde da mãe. Isso é uma das coisas que eu mais me encantei na história; a amizade, o amor entre os irmãos, a forma que eles recebem Ashlyn, ajudando-a a superar a perda, se tornando no fim, seus melhores amigos e verdadeiros irmãos.

       Outro personagem secundário que não da pra esquecer é a Gabby, irmã gêmea de Ashlyn, que por mais que não tenha aparecido exatamente na história, ela foi uma peça fundamental no enredo. Antes de morrer, Gabby deixou uma pequena caixinha com uma lista de coisas que Ashlyn deveria fazer antes de morrer, e a cada coisa que ela cumprisse, deveria abrir uma das cartas que ela deixou na caixa. Isso leva Ashlyn a fazer coisas malucas que ela nunca faria na vida, como beijar um estranho ou transar em um carro; apesar de ser legal fazer Ashlyn se soltar assim, isso faz com que ela se prenda cada vez mais a irmã e torne mais difícil superar a perda.

       Enfim, vou parar de dar tanto spoiler. Sr. Daniels é um livro pra qualquer um se apaixonar, ele não fica preso somente no romance que rola entre os principais, é um livo que aborda a sexualidade, religião, o amor (obvio), nos ensina sobre o luto e, pasmem, até suicídio. Ele definitivamente me deixou lições valiosas que eu nunca vou esquecer, nos ensina a ter empatia, aceitar as diferenças das pessoas e, principalmente, entender que a morte é algo inevitável, é difícil de encarar, mas não impossível. Tudo passa, assim como a vida.

Anúncios

7 livros com personagens ou histórias fortes que são um hino FEMINISTA

Histórias de ninar para garotas rebeldes – Elena Favilli e Francesca Cavallo.

O livro é composto de 100 histórias sobre mulheres fortes do presente e do passado, desde Elizabeth I e Frida Khalo á Malala Yousafzai. As autoras deram uma pegada de conto de fadas ao livro o que o deixa muito divertido, começando cada capítulo com “era uma vez”. É sem dúvidas um livro que vale a pena conferir.

Sinopse:

Cem histórias que provam a força de um coração confiante: o poder de mudar o mundo. Que essas valentes mulheres inspirem vocês. Que os retratos delas imprimam em nossas filhas e filhos a profunda convicção de que a beleza se manifesta em todas as formas, cores e idades. Em Histórias de ninar para garotas rebeldes, tudo o que podemos sentir é esperança e entusiasmo pelo mundo que estamos construindo. Um mundo onde gênero não defina quão alto você pode sonhar nem quão longe você pode ir.

Anne de Green Gables – L. M. Montgomery

Muitos devem conhecer esse livro por ser a história que inspirou a série da netflix Anne With an “E”. É uma obra sensacional com uma leitura envolvente e leve. acredito que todos ficarão encantados acompanhando as travessuras de Anne, a bela garota ruiva que sem dúvidas é uma das personagens mais fortes que já tive o prazer de ler sobre.

Sinopse:

Uma menina de 11 anos com cabelos ruivos sardas e uma mente tão perspicaz quanto a de um cientista em busca de conhecimento chega a uma terra onde as tardes são calmas; os pores do sol alaranjados; as florestas aconchegantes; e os rios suaves como o ritmo do povoado. Sua boca é uma matraca e seus sonhos são maiores que moinhos de vento. Anne vai crescendo e crescendo e de patinho feio revela-se um elegante e atento cisne pronto para abrir suas asas e voar para além das veredas. Mas a vida é feita de artimanhas e a garotinha adotada pelos irmãos Marilla e Matthew tem algumas cercas a pular sem jamais deixar seus sonhos desvanecerem como algumas criaturas fazem.

Clube da luta feminista – Jessica Bennett.

Confesso que quando começei a ler, eu não estava muito confiante por ser uma obra de não ficção, mas acabou que eu me surpreendi bastante com o livro. O clube da luta feminista é basicamente um guia para mulheres sobre como lidar com um ambiente de trabalho machista, a autora traz algumas experiências pessoais com um certo grau de humor e até alguns capítulos para os homens sobre como respeitar sua colega no local de trabalho; e isso foi algo que realmente fez eu me apaixonar pelo livro.

Sinopse:

Contratada para assumir a recém-criada editoria de gênero do The New York Times, a jornalista Jessica Benett constrói um guia incisivo e irônico de como sobreviver ao sexismo no ambiente de trabalho em Clube da Luta Feminista. Mesclando experiências pessoais e de outras mulheres e conselhos nada politicamente corretos com pesquisas e estatísticas sérias, Bennett oferece dicas valiosas e bem-humoradas para a mulher enfrentar o machismo na sociedade atual e combater o terreno minado e muitas vezes sutil do preconceito no ambiente corporativo. Com projeto gráfico moderno, repleto de ilustrações e esquemas divertidos, o livro fala tanto dos desafios externos enfrentados pelas mulheres cotidianamente, quanto dos comportamentos arraigados e autossabotadores delas próprias no dia a dia do escritório, sempre num tom informal e sarcástico.

Crônicas de gelo e fogo – George R. R. Martin

Acredito que muitos conheçam os livros pela série da HBO “Game of Thrones”, acredito que muitos também devem estar se perguntando “o que esse livro ta fazendo aqui? ele nem é sobre feminismo” sim, a história não gira em torno do feminismo mas tem uma personagem que é INCRÍVEL: Daenerys Targaryen.

a primeira de seu nome, nascida da tormenta, a não queimada, mãe dos dragões, quebradora das correntes, mãe dos escravos , khaleesi dos Dothraki, rainha de Mereen, rainha de Westeros, dos Ândalos e dos Roinares.

Muitos já conhecem de cor a apresentação da bela khaleesi. É uma personagem incrivelmente forte, esperta e perspicaz que luta por aquilo que acredita, um verdadeiro mulherão.

Sinopse:

Em A guerra dos tronos, o primeiro livro da aclamada série As crônicas de gelo e fogo, George R. R. Martin – considerado o Tolkien americano – cria uma verdadeira obra de arte, trazendo o melhor que o gênero pode oferecer. Uma história de lordes e damas, soldados e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos. Cada um esforçando-se para ganhar este conflito mortal: a guerra dos tronos. Mistério, intriga, romance e aventura encherão as páginas deste livro, agora também um blockbuster da HBO!

Dom Casmurro – Machado de Assis.

Claro que os clássicos não poderiam faltar, quem nunca teve que ler Dom Casmurro pra aquele trabalhinho de literatura não sabe o que é desespero por achar que o livro vai ser chato e no final se surpreender com uma história maravilhosa. Mas o foco hoje não vai ser na história e sim na personagem Capitu, a bela moça com olhos de cigana oblíqua dissimulada.

Maria Capitolina Santiago foi uma das personagens mais famosas de Machado, que marcou o início do realismo no Brasil com a obra. Capitu é uma personagem forte, corajosa e cheia de audácia que vale a pena ler sobre.

Sinopse:

Dom Casmurro, um velho solitário e frustrado que, em virtude de sua “simpatia”, recebe esse apelido de um conhecido. O personagem busca, por meio da narrativa, rememorar e compreender fatos do seu passado, principalmente os que envolvem uma mulher: Capitu, a personagem mais intrigante e misteriosa da literatura brasileira. A polêmica toda se centraliza em uma dúvida: Capitu é ou não é culpada de adultério? Os fatos até podem indicar que sim, mas o leitor não pode deixar de atentar para um fato: Bento Santiago – o Dom Casmurro –, além de narrador, é advogado. Não teria ele todos os atributos intelectuais para envenenar a narrativa, de modo a levar o leitor a condenar Capitu?

A seleção – Kiera Cass.

América Singer é escolhida juntamente com outras 34 garotas para competir na seleção, afim de conquistar o coração do príncipe Maxon. America desde o inicio nunca quis participar da seleção, como ela diz ao príncipe “só estou aqui para aproveitar a comida”. É um livro incrível que vale a pena ser lido.

Sinopse:

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Harry Potter – J. K. Rowling.

A série do bruxinha favorito conta com 7 livros, mas não estamos aqui para falar de Harry Potter, mas sim de Hermione Granger, uma bruxa esperta e inteligente, que realmente vai atrás daquilo que acredita e consegue com muito esforço.

Sinopse:

Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verde, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo.


É isso pessoal, espero que tenham curtido a lista é que leiam ou já tenham lido alguns dos livros, são todos ótimos.

Boa leitura a todos 🌻❤